Porto de Rio Grande recebe proposta de R$ 368 milhões para dragagem

De A Tribuna On-line

N/A
Resultado saiu nesta sexta-feira(27)
O consórcio vencedor da dragagem do Porto de Rio Grande (Rio Grande do Sul) saiu nesta sexta-feira (27), em sessão pública realizada pela Secretaria de Portos da Presidência da República (SEP). As empresas Jan de Nul do Brasil Dragagem Ltda. e Dragabras Serviços de Dragagem Ltda. fizeram o melhor lance, no valor de R$ 368.627.656,57.
 
A contratação visa a elaboração dos projetos básico e executivo e execução das obras de dragagem por resultado, para readequação da geometria do canal de acesso aquaviário e dos berços do complexo portuário de Rio Grande.
 
Agora, o consórcio deverá apresentar os documentos solicitados no Edital e, uma vez atendidas as exigências, será divulgado o resultado do julgamento da licitação nos sites www.portosdobrasil.gov.br e www.comprasgovernamentais.gov.br.

Fonte: A Tribuna

Exportações têm média diária de US$ 671,8 mi em fevereiro, queda de 15,7%

Adriana Martins

Estadão Conteúdo
N/A
Venda de soja em grão caiu 72,2%
As exportações brasileiras registraram média diária de US$ 671,8 milhões em fevereiro, queda de 15,7% em relação ao mesmo mês do ano passado. Já as importações registraram média diária de US$ 829,7 milhões, com retração de 8,1% 
Segundo os dados divulgados na tarde desta segunda-feira, 2, pelo ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), as exportações de básicos retrocederam 22,7%, resultado explicado pela venda menor de soja em grão (-72,2%), minério de ferro (-35,7%), carne bovina (-27,5%), minério de cobre (-18,0%) e petróleo em bruto (-5,5%). 
Os embarques de manufaturados caíram 11,1% em fevereiro, com destaque para polímeros plásticos (-38,8%), motores e geradores (-25,9%), pneumáticos (-25,0%), máquinas para terraplenagem (-23 8%), açúcar refinado (-19,9%), calçados (-15,3%), motores para veículos (-12,8%), veículos de carga (-12,3%), autopeças (-12 2%), e bombas e compressores (-8,8%). As vendas de automóveis de passageiros subiram 8,3% em relação a fevereiro de 2014. 
As exportações de semimanufaturados tiveram queda de 2,3% no mês passado, puxada, principalmente, por açúcar em bruto (-44,6%), ferro-ligas (-17,9%), ferro fundido (-16,0%), couros e peles (-12,7%) e semimanufaturados de ferro e aço (-0,6%). Do lado das importações, houve uma queda de 20,3% em combustíveis e lubrificantes, de 8% em bens de capital e de 6,8% em bens de consumo. As compras no exterior de matérias-primas e intermediários caíram 3%.
Segundo o MDIC, no grupo dos combustíveis e lubrificantes, a retração ocorreu principalmente pela diminuição dos preços e das quantidades embarcadas de petróleo, gás natural, carvão, óleos combustíveis, naftas e gasolina.
No segmento bens de consumo, as principais quedas foram observadas nas importações de máquinas e aparelhos de uso doméstico, produtos de toucador, automóveis de passageiros e partes, objetos de adorno e bebidas e tabaco.
Nos bens de capital, decresceram as importações de equipamento móvel de transporte, máquinas e aparelhos de escritório e serviço científico, acessórios de maquinaria industrial e maquinaria industrial. 
No segmento de matérias-primas e intermediários, caíram as aquisições de acessórios de equipamento de transporte, produtos agropecuários não alimentícios, produtos químicos/farmacêuticos, produtos minerais e produtos alimentícios.

Fonte: A Tribuna

Governo quer investimento alemão nos portos brasileiros

Estadão Conteúdo

N/A
Angela Merkel virá ao Brasil em agosto deste ano
O ministro do Exterior da Alemanha, Frank-Walter Steinmeier, chega nesta sexta-feira(13) ao Brasil, com a missão de preparar a visita da chanceler Angela Merkel em agosto deste ano e, ainda, iniciar as conversas para o diálogo de alto nível entre os dois países.
 
Do lado brasileiro, a capacidade de investimento dos alemães em um momento em que o Governo precisa atrair recursos do exterior aumentou a importância da visita – a ponto da presidente Dilma Rousseff receber Steinmeier, quando não costuma ter reuniões com ministros estrangeiros. Um dos principais interesses é a possibilidade da participação de empresas alemãs nos portos brasileiros.
 
“Uma das áreas em que o Brasil tem mais interesse é na cooperação em infraestrutura, especialmente na área de portos. A Alemanha tem um dos maiores portos do mundo, em Hamburgo, e podemos ter uma cooperação na área de arrendamento de portos, exploração de terminais privados e soluções de logística”, explicou o subsecretário de Políticas I do Itamaraty, embaixador Carlos Antonio da Rocha Paranhos.
 
Para além dos trâmites diplomáticos, Steinmeier marcou um encontro com o novo ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, para conhecer a nova equipe econômica “e os planos de investimento do Brasil”. Com três grandes projetos de fábrica em andamento no País e outros dois em fase de planejamento, o ministro pretende também saber a real dimensão da crise econômica enfrentada pelo Brasil.
 
“O governo alemão quer conhecer a nova equipe econômica e os planos de investimento do Brasil. É um interesse natural, eles querem estabelecer um diálogo mais direto”, afirmou o embaixador.
 
O governo brasileiro também pretende usar a visita para cobrar uma solução dos europeus para a troca de ofertas no acordo União Europeia-Mercosul, em estado vegetativo há um ano. A troca de ofertas deveria ter ocorrido em janeiro do ano passado, mas os europeus pediram adiamento. Desde julho último, o Itamaraty afirma que o Mercosul está com sua oferta pronta, mas os europeus, com as mudanças na Comissão Europeia, esqueceram o assunto.
 
“A oferta do Mercosul está fechada. Nós já indicamos que estamos prontos. Deve ser sinalizado ao ministro que contamos com uma ação da Alemanha para que se finalize o processo de troca de ofertas. Depois se negocia”, disse Paranhos.
 
Steinmeier chegaria ontem a São Paulo, onde teria encontros com autoridades locais e um almoço com empresários. Mas a visita foi cancelada porque o ministro estava em Kiev, para as negociações que chegaram a um cessar-fogo entre o governo e rebeldes separatistas ucranianos. A visita se restringirá a Brasília. Steinmeier terá um encontro com a presidente às 9 horas, no Palácio do Planalto, e outro como ministro das Relações Exteriores, Mauro Vieira, às 10 horas, no Itamaraty. Depois, irá conversar com Nelson Barbosa.
Fonte: A Tribuna

Incêndio atinge navio açucareiro no Porto de Santos

De A Tribuna On-line

N/A
Segundo a Codesp, embarcação sofreu danos materiais
Um incêndio atingiu o navio açucareiro VTC Globe, atracado no Armazém 20/21, na região de Outeirinhos, em Santos, na noite desta sexta-feira (13).

Segundo informações do 1º tenente Vaccaro, do 6º Grupamento dos Bombeiros de Santos, o fogo começou em uma das cabines do navio. Quatro viaturas da corporação foram acionadas ao local, sendo uma de Resgate. Todas já deixaram o local.

O fogo já foi controlado e não há feridos. A Capitania dos Portos de São Paulo permanece na região.

Em nota, a Codesp confirmou que o incêndio começou em uma cabine do navio, por volta das 18 horas, sendo totalmente controlado até as 19h30. ''Não houve vítimas, apenas danos materiais. Oficiais da Capitania permanecem a bordo para fiscalizar a embarcação. A tripulação avisou a Guarda Portuária, que chamou os bombeiros''.

O navio é um graneleiro com 150 metros de comprimento, 26 metros de largura e 6,2 metros de calado máximo (distância máxia da parte do casco que pode ficar submersa). E tem capacidade para carregar 23 mil toneladas.
 
N/A
Viaturas do Corpo de Bombeiros foram acionadas para combater o fogo
Fonte: A Tribuna

Receita com exportações de café por Santos aumenta 62,5%

Receita com exportações de café por Santos aumenta 62,5%

Da Redação
Com informações da Estadão Conteúdo
N/A
Terminais movimentaram 2,4 milhões de sacas
A receita proveniente das exportações de café realizadas no Porto de Santos, no mês passado, cresceu 62,5% em relação à registrada em janeiro do ano anterior. No primeiro mês de 2015, o cais santista exportou 2,4 milhões de sacas de 60 quilos (144 mil toneladas) da commodity, que somaram US$ 497,9 milhões. No mesmo período de 2014, o volume foi de 2,1 milhões de sacas e o montante arrecadado foi de US$ 306,3 milhões.
 
Em relação aos embarques nacionais, o incremento na receita foi de 53,3%. A soma das exportações brasileiras atingiu a marca de US$ 590,6 milhões. O valor é o maior dos últimos quatro anos para janeiro. Já o volume apresentou um aumento de 6,8%. Foram em barcadas 2.969.557 sacas de 60 quilos (dos tipos verde, torrado & moído e solúvel), contra 2.780.355
no mesmo mês em 2014.
 
As informações constam do balanço mensal de exportações divulgado nesta semana pelo Conselho dos Exportadores de Café do Brasil(Cecafé). “As exportações (nacionais) de café mantém-se próximas de 3 milhões de sacas, volume médio observado em 2014, a despeito de já estarmos no período da entressafra. Nos últimos 12 meses, terminados em janeiro de 2015, as exportações alcançam 36,6 milhões de sacas, com uma receita acumulada de US$ 6,8 bilhões, média de US$ 185,70 por saca equivalente”, destacou o diretor-geral do Cecafé, Guilherme Braga.
 
 
Ano-Safra
 
Na análise do ano-safra, que começou em julho do ano passado e prossegue até junho próximo, já foram comercializadas 21,7 milhões de sacas de café até o final do mês passado. A quantidade é 12,7% superior à registrada no mesmo período da safra anterior. Já a receita apontada foi de US$ 4,285 bilhões, 50,8% maior que a apontada entre 2013 e 2014.
 
Em relação à qualidade do café, o levantamento mostra que, em janeiro, a variedade arábica respondeu por 81,5% das vendas do País. Já o robusta chegou a 11,6%, enquanto o solúvel correspondeu a 6,9% das exportações. Os cafés diferenciados (arábica econillon) tiveram participação de 23,5% nas exportações em termos de volume e de 29,7% na
receita cambial.
 
Destinos
 
Entre os mercados importadores de café, a Europa foi responsável pela compra de 61% do total embarcado do produto brasileiro no primeiro mês de 2015. Já a América do Norte adquiriu 19% do total de sacas exportadas, enquanto a Ásia obteve 15% e a África e os demais países da América do Sul compraram 2%, cada um.
 
Segundo o balanço do Cecafé, a Alemanha – que lidera as exportações de café beneficiado no mundo, industrializando e revendendo o produto de outras nações – foi o país que mais comprou o café brasileiro em janeiro. Foram 560.429 sacas, o equivalente a 19% do total exportado pelo País. Em seguida, estão os Estados Unidos, que responderam pela compra de 492.627 sacas, 17% do total. A Itália ocupou a terceira colocação, importando 282.109 sacas da commodity brasileira, 10% do volume. Em quarto lugar está a Bélgica, com 274.458 sacas adquiridas, 9% das exportações, e na quinta posição, ficou o Japão, com 215.609 sacas importadas, 7% do total.

Codesp fará reunião para evitar filas nos acessos a zona portuária

Congestionamento

Fernanda Balbino

N/A
Plano será traçado para evitar filas de caminhões
Autoridades e empresas envolvidas no escoamento da safra agrícola pelo Porto de Santos se reunirão, na próxima terça-feira(10), no Terminal de Passageiros Giusfredo Santini, para a apresentação do plano que visa evitar novos congestionamentos nas estradas que dão acesso à zona portuária. O encontro, organizado pela Companhia Docas do Estado de São Paulo(Codesp,a Autoridade Portuária), acontecerá apenas cinco dias antes do aumento no movimento de caminhões – carregados com a produção agrícola – na região. 
 
Além da Docas, órgãos federais, estaduais e municipais participarão do evento. Representantes da Secretaria de Portos (SEP), da Agência Nacional de Transportes Aquaviários(Antaq), da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e da Receita Federal estarão presentes, assim como servidores dos ministérios dos Transportes e da Agricultura Pecuária e Abastecimento, das prefeituras da região e da Polícia Rodoviária Federal.
 
As concessionárias rodoviárias, ferroviárias e hidroviárias, também foram convocadas, assim como associações, sindicatos, embarcadores, armadores e os terminais portuários do cais santista. Todos os envolvidos apresentarão suas atribuições e como estão preparados para executá-las durante o período de escoamento da safra agrícola.
 
“O desenvolvimento do plano de competências estava previsto desde setembro do ano passado e se divide basicamente em dois pontos principais: organização e contingências”, explica o diretor de Planejamento Estratégico e Controle da Codesp, Luís Claudio Santana Montenegro, responsável pela coordenação desses esforços na Docas.
 
O executivo destaca que, além de contemplar as ações para o recebimento dos caminhões que seguem em direção ao Porto, desde o agendamento prévio até o momento do embarque, o plano estabelece a participação de cada órgão na solução rápida de eventuais problemas.
 
Pátios
 
Segundo o ministro dos Portos, Edinho Araújo, “na safra passada, o agendamento evitou um caos nas áreas portuárias e nos acessos. Este ano, vamos aprimorar o programa, com a disponibilização de mais um pátio, para o estacionamento temporário de 650 caminhões na Baixada, para que eles aguardam a hora certa de chegar ao Porto sem comprometer o tráfego local, entre outras ações para garantir o escoamento com segurança e tranquilidade”.
 
O titular da SEP faz referência ao pátio Granport Multimodal, na Avenida Júlia Ferreira de Carvalho, no bairro Chico de Paula, em Santos, a cerca de 20 minutos do Porto. Ele tem capacidade para abrigar 200 caminhões ou 650 vagas rotativas.
 
Há ainda mais três pátios utilizados por caminhões com destino ao cais santista. O Ecopátio e o Rodopark ficam em Cubatão, Eles têm capacidade de recebimento de mil e 400 veículos, respectivamente. Já em Sumaré, nas proximidades de Campinas, no Interior do Estado, há outro pátio, o Logispot Armazéns Gerais, que tem 150 vagas, além de tanques para a descarga de grãos. Tanto esta instalação como o Granport Multimodal atendem a demanda da Rumo Logística, que administra os terminais açucareiros do Porto de Santos.
 
Agendamento
 
Todo caminhão com grãos que chegar ao cais santista deve passar pelos pátios reguladores, onde será agendado. O motorista receberá, por escrito, o período em que o terminal poderá recebê-lo.
 
O veículo que chegar dois dias antes ou depois do período agendado para carga ou descarga, será considerado infrator. Mas, neste caso, o terminal que impedir o ingresso do caminhão (aquele não esperado ou não apontado pelo sistema),em suas dependências, não será responsabilizado pela permanência do auto em vias públicas. Ou seja, não será cobrada multa da instalação que comprovar quando o motorista burlar as regras de agendamento sem o seu conhecimento.
 
Conforme resolução publicada pelo Governo em 2013, o terminal que desrespeitar a norma de agendamento e causar congestionamentos pode ser multado de R$ 1 mil a R$ 2 mil por caminhão irregular. A normativa também prevê que as instalações recebam multas variando entre R$ 10 mil e R$ 20 mil por veículo que interromper o trânsito portuário.
Fonte: A Tribuna