Pular para o conteúdo principal

Porto de Santos recupera 1ª posição entre portos da América Latina

Ranking

Leopoldo Figueiredo

O Porto de Santos recuperou a liderança na movimentação de contêineres na América Latina, ultrapassando o complexo marítimo de Balboa, no Panamá, que ocupava o primeiro lugar desde 2010. Na comparação com os demais portos mundiais, o cais santista subiu três colocações e conquistou a 38º posição.

O crescimento de Santos aparece no ranking One Hundred Ports (Cem portos, na tradução do inglês), elaborado a partir de uma parceria entre as publicações especializadas Lloyd´s List e Conteinerisation International, do Reino Unido, e divulgado no mês passado. O levantamento analisa os 100 maiores portos em movimentação de contêiner no mundo no ano passado, comparando seus resultados com os de 2012.

Em 2013, o complexo santista operou 3.445.879 TEU (unidade equivalente a um contêiner de 20 pés), 8,6% a mais do que no exercício anterior, quando chegou a 3.171.685 TEU. Neste ano, até agosto, foram 2,38 milhões de TEU, volume recorde para o período, com uma alta de 7,9%, o que mostra a tendência de crescimento para esse tipo de operação na região.
N/A
Terminais portuários do complexo santista movimentaram 3,44 milhões de TEU no ano passado


O ranking mostra Santos como o único porto do Brasil entre os 100 maiores. Itajaí (SC), o segundo maior do País em operação de contêineres, ficou em 109º lugar, O complexo catarinense movimentou 1,1 milhão de TEU no ano passado, com uma alta de 8,9%.

Na apresentação do cais santista, as revistas britânicas destacaram a entrada em operação, no ano passado, da Brasil Terminal Portuário (BTP) e da Embraport, instalações especializadas na movimentação de contêineres. Em seguida, explicaram que a chegada das duas empresas intensificou a concorrência e “mudou a dinâmica do porto para muitos operadores”, referindo-se à redistribuição de cargas registrada entre os terminais de contêineres da região.

O artigo ainda lista as sete instalações que realizam esse tipo de operação em Santos. Além da BTP e da Embraport, foram citados o Tecon Santos (da Santos Brasil), o Terminal 35 e o Terminal 37 (ambos do Grupo Libra), o Ecoporto Santos e o Rodrimar.

Para o diretor-presidente da Codesp, Angelino Caputo e Oliveira, o crescimento do cais santista no ranking “reforça a já consolidada importância do complexo portuário”. Ele explica que a crescente produtividade dos terminais locais também ocorre devido a investimentos em equipamentos, softwares e ao aprofundamento do canal de navegação do Porto, o que permite a operação de navios de até 335 metros.

América Latina

O aumento de 8,6% em sua movimentação de contêineres e, paralelamente, a queda de 5,8% nas operações do complexo panamenho de Balboa levaram Santos de volta ao topo do ranking dos maiores portos conteineiros da América Latina.

Na lista global, o complexo do Panamá caiu cinco posições, indo do 40º para o 45º lugar, com um movimento de 3,06 milhões de TEU. No ranking latino-americano, está em terceiro. Em segundo, outro porto do mesmo país, Cólon, que totalizou 3,356 milhões de TEU, 4,6% a menos do que em 2012. No levantamento geral, ficou em 40º.

O quarto maior, na América Latina, é o mexicano Manzanillo, que escoou 2,118 milhões de TEU (68º no geral). E, na quinta colocação está o complexo colombiano de Cartagena, com 2,014 milhões de TEU ( 71º lugar).

Os maiores

Os portos asiáticos dominaram nove das dez primeiras posições no levantamento global das revistas britânicas. Xangai, na China, se manteve na liderança, com 33,61 milhões de TEU. Na sequência, está Cingapura, com 32,24 milhões de TEU, que já havia ficado em segundo lugar com a movimentação de 2012 (na listagem divulgada no ano passado).

Os complexos chineses ainda aparecem em 3º, 4º, 6º, 7º, 8º e 10º colocações. São eles, respectivamente, Shenzhen, Hong Kong, Ningbo, Qingdao, Guangzhou e Tianjin. Em 5º lugar, está Busan (Coreia do Sul) e, em 9º, Jebel Ali (em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos). O porto europeu melhor colocado é Roterdã (Países Baixos), que ficou na 11º posição).

Fonte: A Tribuna

Comentários