Pular para o conteúdo principal

Exportações têm média diária de US$ 671,8 mi em fevereiro, queda de 15,7%

Adriana Martins

Estadão Conteúdo
N/A
Venda de soja em grão caiu 72,2%
As exportações brasileiras registraram média diária de US$ 671,8 milhões em fevereiro, queda de 15,7% em relação ao mesmo mês do ano passado. Já as importações registraram média diária de US$ 829,7 milhões, com retração de 8,1% 
Segundo os dados divulgados na tarde desta segunda-feira, 2, pelo ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), as exportações de básicos retrocederam 22,7%, resultado explicado pela venda menor de soja em grão (-72,2%), minério de ferro (-35,7%), carne bovina (-27,5%), minério de cobre (-18,0%) e petróleo em bruto (-5,5%). 
Os embarques de manufaturados caíram 11,1% em fevereiro, com destaque para polímeros plásticos (-38,8%), motores e geradores (-25,9%), pneumáticos (-25,0%), máquinas para terraplenagem (-23 8%), açúcar refinado (-19,9%), calçados (-15,3%), motores para veículos (-12,8%), veículos de carga (-12,3%), autopeças (-12 2%), e bombas e compressores (-8,8%). As vendas de automóveis de passageiros subiram 8,3% em relação a fevereiro de 2014. 
As exportações de semimanufaturados tiveram queda de 2,3% no mês passado, puxada, principalmente, por açúcar em bruto (-44,6%), ferro-ligas (-17,9%), ferro fundido (-16,0%), couros e peles (-12,7%) e semimanufaturados de ferro e aço (-0,6%). Do lado das importações, houve uma queda de 20,3% em combustíveis e lubrificantes, de 8% em bens de capital e de 6,8% em bens de consumo. As compras no exterior de matérias-primas e intermediários caíram 3%.
Segundo o MDIC, no grupo dos combustíveis e lubrificantes, a retração ocorreu principalmente pela diminuição dos preços e das quantidades embarcadas de petróleo, gás natural, carvão, óleos combustíveis, naftas e gasolina.
No segmento bens de consumo, as principais quedas foram observadas nas importações de máquinas e aparelhos de uso doméstico, produtos de toucador, automóveis de passageiros e partes, objetos de adorno e bebidas e tabaco.
Nos bens de capital, decresceram as importações de equipamento móvel de transporte, máquinas e aparelhos de escritório e serviço científico, acessórios de maquinaria industrial e maquinaria industrial. 
No segmento de matérias-primas e intermediários, caíram as aquisições de acessórios de equipamento de transporte, produtos agropecuários não alimentícios, produtos químicos/farmacêuticos, produtos minerais e produtos alimentícios.

Fonte: A Tribuna

Comentários